Olá queridos, como estão?
Hoje venho trazendo pra vocês a resenha deste livro que me cativou de uma maneira muito sentimental, agora estou parecendo o protagonista do Livro: Querendo ler toda a obra do autor de a Sombra do Livro, não o Julian Carax mas Carlos Ruíz Zafón.




A Sombra do Vento 
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma de Letras
Ano: 2001
Número de Pags: 399
Nota:


SINOPSE


'A Sombra do Vento' é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias.
Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de 'A Sombra do Vento', do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível.


           


"- Pois bem, esta é uma historia de livros.

- De livros?

- De livros malditos, do homem que os escreveu, de um personagem que fugiu das paginas de um romance para queima-lo, de uma traição e de uma amizade perdida. É uma historia de amor, de ódio e dos sonhos que moram na sombra do vento." - A Sombra do vento, 147.

Quando estava com meus 19 anos, comecei a ler um livro sem muita expectativa, parei a leitura nas primeiras paginas. Eu lembro que não entendia nada que estava lendo, palavras difíceis que eu tinha preguiça de pensar em um significado que coubesse na sentença. Hoje com 23, dei outra chance ao livro e me arrependo por não ter feito antes (talvez não estivesse preparada), mas com o pouco que aprendi desses 4 anos consegui ver a historia com olhos mais receptíveis e um tanto sensíveis também.

O livro todo li com efeito sépia em mente e posso dizer sem duvida nenhuma que "A Sombra do vento" esta entre as melhores leituras que se pode ter na vida. O livro te faz mergulhar na historia e se sentir parte dela, te leva a acreditar em magia e maldição, mas o fato mais maravilhoso é a narrativa que mesmo lidando com fatos que aconteceram em tempos diferentes ainda sim não nos faz perder a empolgação.

O livro começa em Barcelona em 1945 onde nos é apresentado nosso protagonista, Daniel Serepe, um menino de 11 anos que perdeu a mãe muito cedo e mora com seu pai em um apartamento em cima da livraria da família. Seu pai, Sr. Sempere o leva para um lugar onde os livros são guardados por Issac, o vigia do misterioso Cemitério dos Livros Esquecidos que me parece ser um daqueles lugares que existem mas ao mesmo tempo não estão lá. 


"Este lugar é um mistério, Daniel, um santuário. Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu, e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos pelas suas paginas, seu espírito cresce e a pessoa se fortalece. Faz já muitos anos que meu pai me trouxe aqui pela primeira vez, e este lugar já era velho. Quase tão velho quanto a própria cidade." - A Sombra do vento, 09.


O pai de Daniel explica que sempre que alguém vai pela primeira vez naquele lugar de livros esquecidos, é  habito escolher um livro e adotá-lo para que a história se mantenha viva para sempre. Daniel se enfia naquele monte de prateleiras cheias de livros e perambula por um tempo procurando seu livro e encontra 'A Sombra do Vento' por Julian Carax. Naquele mesmo dia ele voltou para casa e mergulhou no livro o lendo de uma unica vez se sentindo totalmente ligado e atraído pelos personagens e história.
Daniel cria uma obsessão por Julia Carax, quer encontrar outros romances deste autor misterioso que ninguém sabe muito sobre e começa sua busca.
Pai e filho vão de encontro a Gustavo Barceló, um livreiro que pode ter informações sobre o tal Julian Carax. Barcelo fica muito interessado no romance e tenta compra-lo mas Daniel não o vende mesmo com tanta insistência do livreiro. 
Barceló se compromete a contar tudo que sabe sobre o livro se Daniel topar um encontro com ele para tomar um café, Daniel aceita. No local nos é apresentada Clara Barcelo, uma mulher cega de seus 20 anos de beleza exuberante, sobrinha de Gustavo. Barcelo diz que ela é a pessoa que mais sabe sobre Julian Caraz que ele conhece, nos conta que a editora que lançava os livros faliu e este titulo era o ultimo romance de Carax. Daniel pergunta onde pode encontrar outros volumes mas Barcelo lhe diz que provavelmente este livro que ele tem seja o ultimo, pois todos tiveram o mesmo fim: Foram queimados.
Daniel logo se atrai por Clara que se mostra bem interessada no livro e ele se propõe à ler para ela.
Logo começa a frequentar a casa do livreiro toda semana para ler o livro de Carax para Clara, claro que isso só fez aumentar seu desejo pela mulher mesmo ela não tendo interesse nele (ele é uma criança). Bernada, a governanta da casa começa a criar um relacionamento materno com Daniel, sempre cuidando dele. 
Com o decorrer de anos, vão acontecendo alguns eventos na casa que fazem Daniel se distanciar de sua obsessão por Carax. Até que certa noite vai ao encontro dele um personagem misterioso, sem rosto que se diz Lain Coubert e que tem interesse em comprar o livro de Julian para queima-lo. Daniel fica atordoado com aquele encontro, pois o ser nada mais era que um dos personagens de A sombra do vento, o diabo. 
Em meio à descobertas e conflitos o livro volta para o cemitério dos livros esquecidos para ser protegido, e entra um personagem muito carismático que irá se tornar uma pessoa próxima de Daniel: Fermin Romero de Torres, um mendigo que ajuda Daniel em uma noite difícil lhe oferecendo vinho barato e sua companhia falatória. Nosso Sempere não se esquece de Fermin que mais tarde começa a trabalhar na livraria e se tornando um amigo leal. Neste ponto, Daniel não frequenta mais a casa de Barceló para ler livros para Clara e agora passa mais tempo trabalhando na livraria, é quando seu amigo de infância, Tomas Aguilar entra em cena, um rapaz quieto com dons para a engenharia que o pai abomina dizendo que é loucura. Tomas sempre é citado como melhor amigo de Daniel, mas essa relação quase não chega nas paginas do livro, pois o relacionamento com Fermin me parece de longe mais profundo.
Daniel sem desistir de sua obsessão por Julian Carax começa sua investigação indo em lugares que o autor frequentava, falando com pessoas que o conheciam e tentando descobrir o por que de seu fim.
Não vou contar muito sobre estes episódios de investigação para não estragar o gostinho de suspense, as únicas coisas que posso dizer é que Fermin começa a ajudar Daniel e é ai que temos conhecimento do nosso condecorado inspetor chefe Francisco Xavier Fumero, e outroa personagens que são peças importantes para esse mistério sombrio.

Neste livro tem tantos personagens bem trabalhados, cada um com sua historia muito bem estruturada e que tem seu papel no desenrolar desse suspense.
Temos personagens do passado e presente que as vezes se mesclam, como é o caso de Nuria Monfort, filha de Issac (o vigia), que trabalhou na editora falida e conheceu Julian, em certo momento Daniel consegue encontra-la e assim saber mais sobre  a vida de Carax. 
Em meio a mistérios, personagens enigmáticos e desilusões Carlos Ruiz Zafón encontra espaço nas linhas dessa narrativa maravilhosa para romances, uns trágicos, outros que correm o risco de se tornarem trágicos. Que é onde entra Bea Aguilar, irmã de Tomas, uma ruiva de personalidade forte que esta prometida a um rapaz que esta a serviço do exercito, sua historia começa  a ser contada de uma forma sucinta mas não desmerece seu espaço. Também é escrito o romance mais inesperado e fofo do livro que eu fiquei impressionada e simplesmente amei.
O final é um relato totalmente esclarecedor seguido de encontros, despedidas, morte e vida. É um final tão completo que você não consegue parar de ler. Enquanto estava lendo eu segurava tão forte o livro que parecia que eu queria entrar dentro (talvez quisesse).
Enfim eu recomendo muito esse livro, a leitura pode ser um pouquinho difícil mas condiz com a época que se passa a historia. Os personagens são uns amores, fico impressionada como o autor conseguiu trabalhar tão bem 47 personagens fazendo com que todos tivessem seu pedacinho na historia e ajudasse a construir essa Barcelona de A Sombra do Vento. Alem disso gostei muito de como o autor trabalhou com passado e presente sempre juntos (tão juntos que quase se fundiam) seja com personagens ou fatos ocorridos, a narrativa é tão espetacular que você não se perde nesses tempos, sempre fica claro quando se esta falando de passado e presente.
O personagem que mais gostei foi o Fermin, ele aparece como se não fosse ninguém e logo mostra sua carisma, lealdade e bom humor com suas historias e parábolas sobre a vida. 
Outro personagem que me cativou foi Miguel Moliner, amigo de infância de Julian, um rapaz que também apresenta muita lealdade ao seu amigo sempre o ajudando. 

"- Lembre-se do trato que fizemos. Quando eu morrer, tudo o que é meu será seu, menos os sonhos." - A Sombra do vento pg. 336


cuplover_arabesco.png (457×113)
A sombra do livro é o primeiro de uma trilogia seguido por "O jogo do anjo' e ' O prisioneiro do Céu', dizem por ai que não importa a ordem que você leia a trilogia, a historia sempre fará sentido. E eu, já quero muito ler 'O jogo do anjo' haha..

E é isso, espero que essa resenha tenha deixado você com um gostinho de quero ler. Se gostou comenta com a gente. Se já leu, conta pra gente o que achou e seu personagem preferido!

Um até logo e beijos de luz. 
Ritch



4 Comentários

  1. Tu amadureceu muito dos velhos tempos que fazíamos fanfics "dramáticas" e acabavam por se tornar cômicas de doer a barriga. Fiquei impressionada em como conseguiu me arrastar para um pouco do livro em uma resenha, pois, estava perdendo o hábito da leitura e aqui está minha vontade ressuscitada e minha curiosidade despertada e ávida por me aventurar num mundo em que tu agarraste o livro de uma forma que jamais teria feito naquela época. Ficou show, continue a amar o que faz e se aperfeiçoar pois tu vai conquistar o mundo!

    ResponderExcluir
  2. Uau!!!

    Você conseguiu colocar todos os pontos mais interessantes para despertar a vontade de ler o livro, e por eu já ter lido este, me deu vontade de ler novamente hahaha!

    Resenha incrível! <3

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Tenho amigos que já leram o livro e tals mas nao sabia dessa narrativa,a ideia é bem loca e parece emocionante tbm,assim que possivel eu leio essa caralha, parabéns e PS: as fotos ficaram lindas!

    ResponderExcluir